O que fazemos
Belo Horizonte/MG
Salvador/BA
Juazeiro/BA
Sto Amaro-São Paulo/SP
Centro Vocacional Oblata
Acompanhamento Vocacional
Depoimentos
Divulgação
Países
Sobre Padre Serra
Abertura do Bicentenário
No Brasil
Artigos
Pesquisas
VII Encontro -2009
VIII Encontro - 2010
IX Encontro - 2011
Tráfico de Pesssoas
Encontro da Rede
Unidades Oblatas
Capitulo Provincial
Projetos Mundo
Projetos Brasil
Diga NÃO à violência contra Mulher
Capacitação
Outros
Comunidades
Comemorações
Projetos Oblatas
Compartilhai
Jornal da Rede Pastoral Oblata
Pastoral da Mulher de Belo Horizonte - MG
Pastoral da Mulher de Juazeiro - BA
Economia Solidária
Tráfico de Seres Humanos
Prostituição
Violência Contra a Mulher
Jornal da Rede
Comunidade
Igreja do Brasil
Cidadania
Direitos Humanos
Gênero
Projetos Pastorais
Cultura
Igualdade

Leis Vigentes Sobre Prostituição

Os Capítulos e os respectivos artigos do Código Penal Brasileiro que são, usualmente, aplicados pelas autoridades para a detenção de profissionais do sexo, no exercício da prostituição

Os Capítulos e os respectivos artigos do Código Penal Brasileiro que são, usualmente, aplicados pelas autoridades para a detenção de profissionais do sexo, no exercício da prostituição:
 
Título VI
Dos Crimes Contra os Costumes
Capítulo V
Do Lenocínio e do Tráfico de Mulheres
Mediação para servir a lascívia de outrem
Art. 227. Induzir alguém a satisfazer a lascívia de outrem:
Pena – reclusão de um a três anos
§ 1º Se a vítima é maior de quatorze anos e menor de dezoito anos, ou se o agente é seu ascendente, descendente, marido, irmão, tutor ou curador, ou pessoas a que esteja confiada para fins de educação, de tratamento ou de guarda:
Pena – reclusão de dois a cinco anos.
§ 2º Se o crime é cometido com emprego de violência, grave ameaça ou fraude:
Pena – reclusão de dois a oito anos, além da pena correspondente à violência.
§ 3º Se o crime é cometido com o fim de lucro, aplica-se também multa.
 
Favorecimento da Prostituição
Art.228.
Induzir ou atrair alguém à prostituição, facilitá-la ou impedir que alguém a abandone:
Pena – reclusão de dois a cinco anos.
§ 1º Se ocorre qualquer das hipóteses do 1º do artigo anterior:
Pena – reclusão de três a oito anos.
§ 2º Se o crime é cometido com emprego de violência, grave ameaça ou fraude:
Pena – reclusão de quatro a dez anos, além da pena correspondente à violência.
§ 3º Se o crime é cometido com o fim de lucro, aplica-se também multa.
 
Casa de Prostituição
Art. 229.
Manter, por conta própria ou de terceiro, casa de prostituição ou lugar destinado a encontros ou para fim libidinoso, haja ou não intuito de lucro ou mediação direta do proprietário ou gerente:
Pena – reclusão de dois a cinco anos e multa.
 
Rufianismo
Art. 230.
Tirar proveito da prostituição alheia, participando diretamente de seus lucros ou fazendo-se sustentar, no todo ou em parte, por quem a exerça:
Pena: reclusão de um a quatro anos e multa.
§ 1º Se ocorre qualquer das hipóteses do §1º do art. 227:
Pena: reclusão de três a seis anos, além de multa.
§ 2º Se a emprego de violência ou grave ameaça:
Pena: reclusão de dois a oito anos, além da multa e sem prejuízo da pena correspondente à violência.
 
Tráfico de Mulheres
Art. 231. Promover ou facilitar a entrada, no território nacional de mulher que nele venha exercer a prostituição, ou a saída de mulher que vá exercê-la no estrangeiro:
Pena: reclusão de três a oito anos.
§ 1º Se ocorre qualquer das hipóteses do §1º do art. 227:
Pena: reclusão de quatro a dez anos.
§ 2º Se há emprego de violência, grave ameaça, ou fraude, a pena é de reclusão, de cinco a doze anos, além da pena correspondente à violência.
§ 3º Se o crime é cometido com o fim de lucro, aplica-se também multa.
Art. 232. Nos crimes de que trata este capítulo, é aplicável o disposto nos artigos 233 e 234.
 
Capítulo VI
Do Ultraje Público ao Pudor
Ato Obsceno
Art.233.
Praticar ato obsceno em lugar público, ou aberto ou exposto ao público:
Pena – detenção, de três meses a um ano, ou multa.
Escrito ou Objeto Obsceno
Art. 234. Fazer, importar, exportar, adquirir ou ter sob sua guarda, para fim de comércio, de distribuição ou de exposição pública, escrito, desenho, pintura, estampa ou qualquer objeto obsceno:
Pena – detenção de seis meses a dois anos, ou multa, de quatro mil cruzeiros a dez mil cruzeiros.
 
Lei das Contravenções Penais
Vadiagem
Art. 59.
Entregar-se alguém habitualmente à ociosidade, sendo válido para o trabalho, sem ter renda que lhe assegure meios bastantes de subsistência, ou de prover a própria subsistência mediante ocupação ilícita:
Pena – prisão simples, de quinze dias a três meses.
Parágrafo Único: A aquisição superveniente de renda que assegure ao condenado meios bastantes de subsistência extingue a pena.

Voltar 


agosto 2014
 DSTQQSS
S     12
S3456789
S10111213141516
S17181920212223
S24252627282930
S31      









 

Busca:
 

Na sua opinião, por que a mulher que sofre violência nem sempre denuncia?
Porque não acredita na punição do agressor.
Porque tem medo de retaliação.
Porque acredita que o agressor vai mudar.
Porque não sabe como denunciar.
Porque sente cosntrangimento.

 
 

 


Home . Apresentação . Histórico . Mística . Missão . Cadastre-se . Localização . Links . Trabalhe Conosco . Contato
Copyright 2006 – Instituto das Irmãs Oblatas do SSmo Redentor - Todos os Direitos Reservados
fale conosco: info@oblatas.org.br Tel: 11 2673-9069